Blog :: Xalingo

Tag - volta às aulas

Bom senso no grupo da escola no Whatsapp

Quando os filhos entram na escola, passam a fazer parte de um novo mundo e os pais também são afetados por isso. Porém, para eles, o “novo mundo” é o grupo de pais no Whatsapp. O aplicativo começou a ser usado há alguns anos no intuito de facilitar a comunicação entre a escola e as famílias. No entanto, nem sempre se faz bom uso desta ferramenta, reproduzindo no grupo de pais da escola, o mesmo comportamento que se tem em grupos de amigos e família. Por isso, confira estas dicas para manter o bom senso e evitar conflito com outros pais no grupo de Whatsapp da escola.

 

Liberado:

– Usar o grupo para tirar dúvidas sobre alguma mensagem da escola.

– Marcar encontros fora do ambiente da escola para as crianças brincarem.

– Obter informações sobre algum evento da escola.

– Questionar sobre objetos esquecidos ou pegos por engano entre as crianças.

– Combinar com outros pais sobre um presente coletivo para as professoras.

 

Evite:

– Enviar mensagens em horários inapropriados, como tarde da noite ou muito cedo pela manhã.

– Mandar bom dia, boa tarde ou boa noite, gerando um excesso de mensagens desnecessárias e que muitas vezes fazem com que as informações importantes se percam na conversa.

– Mensagens com arquivos pesados, figurinhas fofas, reflexões ou pornografias. O mesmo vale para debates sobre política, religião ou esportes. É necessário ter o bom senso de que o grupo da escola não é o espaço para isso.

– Enviar convites para eventos que nem todos foram convidados. Prefira sempre chamar a mãe ou pai em particular.

– Expor as crianças ou julgar outros pais, gerando fofocas e maledicências.

– Deixe para utilizar os áudios apenas em casos extremos e, quando o fizer, seja cuidadoso e objetivo.

– Enviar fotos dos seus filhos que não tenham a ver com o contexto escolar.

– Reclamações sobre a escola ou professores devem ser debatidas em reuniões específicas, diretamente com o núcleo escolar, não via grupo de Whatsapp.

 

 

 

 

Fonte: Donna

Volta às aulas: dicas para economizar no material escolar

As férias estão acabando e logo começa a correria da volta às aulas e da busca pelos itens da, geralmente extensa, lista de materiais para o novo ano letivo. Porém, quanto mais pressa, maior a chance de acabar gastando mais do que o necessário.

 

Antes de começar a maratona de compra do material escolar, confira estas dicas.

 

1 – Faça trocas

Fale com outros pais e proponha um dia para que cada um leve o que não vai mais usar. O que não servir para um, pode ser perfeito para outro, de materiais a livros didáticos. Verifique também se a própria escola ou entidades locais realizam feiras de troca.

 

2 – Reaproveite

Antes de comprar tudo novo, confira os itens que podem ser aproveitados ou restaurados. Por exemplo, precisa comprar um dicionário novo só porque a capa que está rasgada? Ou, precisa mesmo um novo estojo ou apenas uma boa limpeza no antigo? Resista aos apelos das crianças para comprar tudo novo e aproveite para conscientizá-los.

 

3 – Pesquise

Tire um tempo para pesquisar os preços e verifique as vantagens de comprar tudo em um só lugar, negociando descontos e formas de pagamento. Vale pesquisar na internet e conversar com pais de colegas do seu filho, que também estão nesta busca.

 

5 – Junte-se a outros pais

Algumas lojas oferecem descontos para compras em grandes quantidades. Por isso, vale formar um grupo de pais para compraremos materiais dos pequenos em conjunto.

 

6 – Deixe as crianças em casa

Por mais que os materiais sejam para elas, levar as crianças junto na hora da compra não é uma boa opção se o intuito é economizar. Os pequenos geralmente vão querer os itens com os personagens do momento, cujos preços costumam ser mais elevados.

 

 

 

Fonte: Crescer

Volta às aulas

post3

post3

 

A volta às aulas pode ser um período muito alegre e empolgante para diversas crianças. Mas para algumas, também pode representar tensão, medo… Cabe aos pais ajudarem a criança a se preparar para retomar a rotina, após o descanso e aventuras das férias.

 

Para ajudar seu pequeno no processo de readaptação à rotina de escola, o ideal é começar gradativamente no final das férias ir reajustando os horários de dormir e acordar, bem como os horários das refeições e lanches. Pois sono e fome são fatores que podem interferir no processo.

 

Para despertar a empolgação do seu filho com a volta às aulas, é interessante leva-lo junto para escolher os materiais escolares. Isto costuma deixar os pequenos bastante animados e ansiosos para usar os novos apetrechos.

 

Também é importante conversar com seu filho sobre a retomada da rotina. Faça uso de momentos divertidos que ele tenha vivido na escola no ano anterior – brincadeiras, jogos, músicas, atividades, os amigos, etc. Além de reavivar a memória dele, faça com que ele se encante com todas as possibilidades e novidades que estão por vir no novo ano escolar.

 

Mesmo com toda esta preparação prévia, pode acontecer de a criança frear na hora de entrar na escola, fazer birra… No caso de crianças menores, pode ser necessário que os pais fiquem um pouco junto com a criança na escola, até ela se sentir mais segura e ambientada. É importante ter paciência e tentar transmitir segurança ao seu filho, ressaltando todas as coisas bacanas que ele pode vivenciar, fazer e aprender na escola.

 

 

 

 

Fonte: Revista Crescer

Como lidar com a ansiedade pré volta às aulas?

cuidados-material-escolar-volta-as-aulas

O Carnaval acabou e logo mais as aulas das crianças iniciam. Voltar à rotina é sempre uma tarefa complicada para os pais, e claro, para a criança, que está já há alguns meses de férias. Mas é comum que semanas antes do início das aulas os pequenos comecem a demonstrar um comportamento de ansiedade que pode causar estresse em toda a família.

Mas como lidar com essa ansiedade? Afinal, a criança está curiosa para conhecer o novo professor, rever os colegas, aprender coisas novas. E se seu filho for mudar de descola então, essa ansiedade só aumenta. Claro que a expectativa e aquele “frio na barriga” é sempre legal, mas é preciso ter atenção para que isso não torne a volta às aulas um momento tenso para a criança.

Vamos a algumas dicas que podem ajudar nessas semanas que antecedem à volta as aulas!

– Oriente e supervisione o uso da agenda escolar para anotar o que precisa ser feito. A criança também pode criar uma estratégia de checklist para aprender a gerenciar o tempo.

– A família e o estudante podem fazer cartazes com horários e materiais que serão usados em cada dia da semana. Expor em locais visíveis facilita a memorização e cria o habito de conferir o que é necessário para cada dia.

– A organização da rotina vai depender muito mais da organização familiar do que do próprio estudante. Delimitar horário para dormir e acordar habitua o organismo, facilitando as atividades diárias que dependem, em grande parte, da criança estar disposta.

– É importante preparar a criança com pelo menos dois dias antes do início das aulas. Inseri-la na rotina escolar, principalmente quanto aos horários de se alimentar, dormir e acordar.

– Organize com seu filho os materiais escolares, os uniformes, veja as disciplinas, os horários e faça com que as crianças participem desses momentos para se acostumarem com o início do ano letivo.

– Se for a primeira vez da criança na escola, ou se ele iniciará em uma nova instituição de ensino, leve-o para conhecer o local e explique por que ele está indo e o que vai fazer. Faça isso antes o início das aulas, isso diminuirá o impacto no primeiro dia.

– Conte para seu filho como foi seu primeiro dia na escola, como você ficou, o que marcou, o que aconteceu.

– Se possível, marque um encontro com alguma criança que vai estudar na mesma escola, para que seu filho se sinta mais seguro e tenha uma companhia.

cuidados-material-escolar-volta-as-aulas

 

Logo mais a criançada volta às aulas. Como se preparar?

volta_as_aulas

2016 começou e logo mais a criançada estará de volta às aulas. E por isso é preciso se ajustar a nova rotina dos pequenos, afinal, a escola é o principal compromisso deles ao longo do ano e é preciso começar com o pé direito.

Só que não é nada fácil sair da temporada de férias na praia, em casa ou na casa da avó para voltar à rotina de estudos. Mas como fazer com que essa transição entre o lazer e a obrigação seja feita sem problemas?

volta_as_aulas

Na Educação Infantil:
Se você não abandonar a disciplina nas férias vai ficar mais fácil o retorno às aulas. Lembre-se que a disciplina e a rotina de estudos deve começar já na Educação Infantil. Assim fica ainda mais fácil fazer com que a criança fique mais habituada para todas as voltas às aulas que ela terá ao longo da vida. Uma dica para facilitar a readaptação é, cerca de cinco dias antes de retomar as aulas, começar a organizar o material escolar, falar sobre o assunto com a criança, regrar o tempo de brincadeiras e o sono. Faça com que a criança se envolva com esses preparativos, tornando a volta à aulas ainda mais interessante para ela.
No Ensino Fundamental
Quando a criança está no Ensino Fundamental ela pode apresentar uma resistência maior para voltar aos estudos. Como eles já são mais ligados à Internet e também atividades ao ar livre a sala de aula se torna uma espécie de barreira para esse divertimento que vai acabar mais limitado. Uma dica para os pais é, alguns dias antes da volta às aulas, começar a controlar o acesso à internet e aos jogos eletrônicos, fazendo com que ele lembre que logo terá que reservar um tempo para os estudos novamente.

 

Aproveite a volta às aulas para ensinar educação financeira ao seu filho

School Supplies

2015 começou e com ele chega também a lista de compras de material escolar do seu filho. Sabemos que esta é uma tarefa que exige paciência e muita pesquisa, afinal, o material escolar pode variar muito de preço dependendo de uma loja para outra.

Esta é uma ótima oportunidade de ensinar um pouco de educação financeira para a criança. Confira cinco dicas de como os pais podem aproveitar o período para ensinar seus filhos um pouco de consciência financeira e economia sustentável:

– Leia a lista de material escolar junto com seu filho: Sente junto e leia toda a lista de material escolar junto com a criança. Isso fará com que seu filho perceba e conscientize quantas coisas precisa ter para estudar. Esse é também um bom momento para perguntar se algum dos itens da lista podem ser reutilizados do ano que passou, como uma tesoura ou um apontador, por exemplo.

– Pesquise os preços em casa: A Internet pode ser sua grande aliada para pesquisar preços. Os folhetos de supermercados encartados nos jornais também são uma ótima fonte de pesquisa. Peça a ajuda do seu filho para que ele o hábito de sempre pesquisar antes de comprar.

– Faça uma lista comparativa de preços e lojas: Transforme a pesquisa de preços em uma brincadeira, convide seu filho a separar cada item da lista de material escolar (por exemplo borracha ou livro de história). Depois, em cada loja que eles acharem o livro para vender, eles anotam na folha o preço e o nome da loja. Assim, ao final da pesquisa, eles poderão saber qual o melhor lugar para comprar cada coisa e já estarão desenvolvendo a análise crítica de como escolher onde comprar.

– Leve seu filho junto na compra: Alguns pais podem achar a dica um pouco louca, afinal, a criança sempre quer comprar mais do que precisa e isso pode gerar problemas. Mas levar seu filho junto na hora da compra é um excelente exercício de autocontrole financeiro. Converse com ele antes de sair sobre o que irão comprar e defina um orçamento, assim, seu filho terá que escolher o que comprar de forma que “caiba no seu orçamento”.

– Fale sobre a compra de material escolar do ano que vem: A compra do material escolar é uma atividade recorrente na vida dos pais, por isso pode também ser uma excelente forma de ensinar sobre planejamento financeiro sustentável para seus filhos.

Fonte: www.administradores.com.br

School Supplies

Hora de voltar às aulas: o que levar na lancheira?

merenda

As férias escolares estão terminando e as aulas já vão começar. Agora é a hora de correr atrás do material escolar, uniformes e outras questões importantes para o início do ano letivo. Uma delas é a lancheira das crianças.

A dica é sempre tentar um lanche balanceado e saudável, evitando as guloseimas que os pequenos tanto adoram. Afinal, seu filho está em fase de crescimento e os lanches são uma peça fundamental nessa etapa da vida dele.

merenda

Veja algumas dicas de como fazer seu filho comer bem na escola com alimentos práticos, saudáveis e muito gostosos. Você pode escolher 2 ou 3 itens por dia para compor a lancheira:

– Frutas: Uma ótima pedida são as frutas da estação. Boas opções são maças, ameixas, morangos, uvas e bananas. Não esqueça de mandar a fruta sempre higienizada

– Verduras: Você pode compor um lanche com tomates cereja e cenouras baby

– Farináceos: Pode ser um sanduíche de pão integral com queijo e peito de peru ou ainda bolachinhas integrais (no mercado você encontra várias opções gostosas e saudáveis). Outra sugestão é uma fatia pequena de bolo caseiro que você mesma pode fazer em casa.

– Líquidos: Pode ser água de coco, suco de fruta integral (sem adição de açúcar ou conservante), diluído em água e acondicionados em garrafas de fácil higienização, mantidos em local fresco até o momento do consumo

Fica a dica: Uma vez por semana dê dinheiro para que seu filho compre o lanche na escola. É uma chance de ele aprender a lidar com o dinheiro e escolher a própria comida. Nesse dia, a criança até pode abusar e comer alguma guloseima, mas isso não pode ser uma constante na vida do pequeno.

As aulas estão de volta! Mas como entrar na rotina de novo?

BLD067121

Várias escolas do Brasil se preparam para a volta às aulas. Como 2014 é ano de Copa do Mundo no Brasil, algumas instituições de ensino adiantaram o calendário escolar para liberar os alunos no período da competição.

Então, é hora de ir em busca de material escolar, mochilas, livros, transporte para o pequeno e tudo mais que envolve esse ritual, tão importante para as crianças.

Para retomar a rotina sem grandes problemas é preciso ter em mente que um novo ano começa, e com ele as responsabilidades. A primeira dica para começar o ano letivo com o pé direito é não se atrasar. Se a aula for pela manhã acorde cedo, prepare tudo com o seu filho junto e sigam para a escola com tempo extra. O primeiro dia é sempre um momento de reencontro de alunos e professores, chegar em cima da hora vai fazer você perder momentos lindos com o seu pequeno. O mesmo acontece na hora de buscar a criança. Esteja lá no horário certo. Esquecer a criança, mesmo que por poucos minutos, pode causar nela uma sensação de abandono. Programe-se!

BLD067121

Se esse for o primeiro ano letivo do seu filho verifique com a escola a possibilidade de ficar algum tempo extra com ele na sala de aula. Nem todas as escolas aprovam essa prática. Mas lembre-se que esse será o primeiro de muitos dias de aula e que seu pequeno precisa conquistar sozinho a sua independência. O primeiro dia de aula é muito importante nesse processo.

Apresentar resistência no início é natural, mas os pais devem observar se a criança tem problema de adaptação por muito tempo. Neste caso, o ideal é procurar a escola para verificar se há um problema específico.

Quando o filho vai para uma escola nova, em uma turma que já tem grupos de amigos formados, os pais devem acompanhar sua adaptação de maneira próxima. Se a substituição ocorreu por conta de uma mudança de cidade ou de bairro, a criança pode se sentir deslocada por ter quebrado laços afetivos. Acompanhe a criança de perto para que ela tenha a certeza de que não está sozinha.

Preocupado com o material escolar? Veja algumas dicas para economizar!

452254671

O ano começa e com ele vem a lista de material escolar dos filhos. Todos os anos é a mesma coisa: ir em busca de tudo que ele precisa para começar mais um ano letivo, buscar livros e ver os preços mais em conta. Tudo isso pode gerar um grande estresse.

452254671

Confira algumas dicas de como economizar nessa hora e boas compras!

1 – Só compre o necessário: Antes de sair às compras tente visitar a escola e ver o que realmente é necessário para o início das aulas. Dependendo, alguns itens podem ser comprados mais tarde, não sobrecarregando o orçamento nesse primeiro momento de compras. Questione o professor quanto a exageros da lista, se houver. Outra sugestão preciosa é fazer uma limpa no armário, conferir o que sobrou do ano passado e reaproveitar alguns itens, como tesoura, estojo, lápis de cor, apontador e o que mais estiver em condições de uso.

2. Nada de produtos de uso coletivo: Um alerta importante dos órgãos de defesa do consumidor é que as escolas não podem solicitar a compra de materiais de uso coletivo, o que inclui artigos de higiene e limpeza, e cobrar taxas para suprir despesas com água, luz e telefone. Também não podem obrigar os pais a adquirir produtos de marca específica ou determinar o estabelecimento onde o material tem de ser comprado. Fique ligado!

3. Pesquise muito e peça descontos: Pesquise muito, bata perna, veja outras opções e quando achar que o preço do produto não pode diminuir pechinche mais um pouco. Na Internet você pode encontrar produtos bem em conta como livros didáticos, por exemplo. Sem contar que algumas lojas virtuais parcelam as compras em várias vezes.

4. Vale a pena uma compra coletiva: Uma dica muito comum para adquirir o material escolar é reunir os pais dos coleguinhas do filho para efetuar a compra em grupo. Na verdade, isso vale mais para crianças maiores, que usam livros didáticos. Nesse caso, uma oferta em bloco para a editora pode representar descontos de mais de 40%, inclusive com a intermediação da escola.

5. Deixe as crianças em casa: Nada de convidar o filho para ir com você comprar o material escolar. Deixe-o em casa para evitar qualquer encrenca com o pequeno e traga alguns itens que ele pediu como cadernos do seu personagem preferido.

A volta às aulas e a depressão (ou tensão) pós-férias

A volta às aulas costuma ser um misto de sensações. Por um lado, o alívio de ter ocupação para as crianças, já que muitos de nós não temos o devido tempo para criar atividades e passar com elas o tempo que elas gostariam quando estão longes da escola. Do mesmo lado, a alegria das crianças em rever os amiguinhos e poder contar as novidades. Por outro lado, uma pontinha de tristeza da parte das crianças, por acabar o seu tempo livre e descompromissado. E dos pais, por tirar as crianças, especialmente as pequenas, do conforto do lar em pleno inverno. E uma sensação de que vamos perder um tempo precioso de convivência, um dos pesos da vida moderna, como diz a blogueira Sam Shiriashi, que fez um post sobre depressão pós-férias.

De acordo com a Revista Saúde, a “Depressão pós-férias” é um mal que assola 23% dos brasileiros na volta ao trabalho. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação de Controle do Estresse no Brasil, uma grande parte deste grupo é formada por mulheres que têm filhos e trabalham dentro e fora de casa. “A velha culpa da mulher que trabalha fora de casa e tem tempo limitado com os filhos em função do trabalho”, como fala Sam.

“O término das férias pode gerar um entristecimento grande devido à ausência ou pouco contato familiar, além da culpa que muitas mães apresentam por se sentirem pouco presentes. Tamém pesa a retomada dos horários e obrigações e a volta aos afazeres domésticos”, como afirma a matéria da Revista Saúde.

Para tornar esse momento mais fácil, Sam dá duas sugestões para aliviar o estresse e a tristeza nos primeiros dias – seja ela por parte das mães ou dos filhos:

– Reserve um tempo para brincar com as crianças, e tente manter esse momento uma constante entre vocês. Nem sempre dá tempo, mas ler um livro divertido ou um bom gibi, jogar um jogo ou ver um filme calmo à noite ajuda a manter o elo familiar e ainda desestressa, porque desliga a cabeça dos pais do dia de trabalho;

– Evite duas posturas: a impaciente no trabalho (que faz achar que não vale a pena estar lá, que desmotiva ou consome demais) e a permissividade com as crianças, postura bem comum quando se sente culpa. O melhor é esperar que a rotina se acomode (o que geralmente acontece em uma ou duas semanas) e tentar, como indicam os especialistas, repartir as férias em 2 ou 3 tempos ao longo do ano, para evitar que o estresse acumule (e assim você pode acompanhar seus pequenos nas férias de inverno!).

Fontes: Blog “A Vida Como A Vida Quer” e Revista “Saúde”