Blog :: Xalingo

Tag - disciplina

Como fazer as crianças desligarem os eletrônicos

O uso de aparelhos eletrônicos pelas crianças é inevitável. Porém, como sempre, os pais tentam limitar a utilização por longas horas, dando aqueles avisos de “só mais cinco minutos”, que nem sempre surtem efeito. Na verdade, segundo uma pesquisa recente, esses avisos tendem a dificultar a transição entre as atividades.

 

O estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Washington acompanhou o dia a dia de 27 famílias e concluiu que destas, apenas 5 obtinham sucesso com os avisos para os pequenos desligarem os aparelhos eletrônicos. Nas demais famílias, as crianças ofereciam cada vez mais resistência na hora de interromper as atividades eletrônicas.

 

Mas então, quais estratégias funcionam?

 

Segundo o estudo, quando as interrupções das atividades eletrônicas coincidem com os hábitos da rotina, como parar para almoçar ou tomar banho, elas geram melhores resultados. Isso acontece porque as crianças demonstram menos resistência na hora de seguir um cronograma ao qual já estavam acostumadas. Dos 27 participantes da pesquisa, 11 conseguiram aplicar a técnica e foram bem-sucedidos.

 

Outra estratégia que se mostrou eficiente foi uma pausa ocasionada pela própria tecnologia, como o fim de um vídeo ou o descarregamento da bateria do celular. Quando isso acontece, muitas crianças reagem melhor do que se estivessem apenas obedecendo a uma ordem dos adultos.

 

Cabe ressaltar que, se os pais tentam forçar uma situação dizendo que o aparelho está com problema de funcionamento ou que o programa favorito da criança não está mais disponível, o efeito pode ser o oposto do planejado. Os pais precisam manter sua autoridade sem mentir, explicando à criança o motivo e a importância das regras, mantendo-se firmes e sem inventar desculpas.

 

O que faz as crianças desligarem as telas?

 

De acordo com a pesquisa, o motivo mais frequente que levou as crianças a desligarem os aparelhos eletrônicos foi alguma mudança na situação que tornou impossível continuar em frente à tela, como ter que ir para a escola, por exemplo. O segundo motivo mais comum foi a criança perder o interesse ou o fim de um jogo ou vídeo. Em apenas 15% dos casos as crianças desligaram os aparelhos em função das ordens dos pais e 9% em função de um horário combinado previamente.

 

A importância do exemplo

 

Embora a maioria dos pais acredite que o uso de aparelhos eletrônicos e mídias sócias sejam ruins para seus filhos, eles próprios fazem uso frequente deles. Essa diferença entre o que os adultos dizem e fazem é um problema, pois é no exemplo dos pais que os filhos se espelharão quanto ao uso dos eletrônicos. Por isso, é fundamental que os pais saibam deixar de lado seus aparelhos quando estiverem com os filhos.

 

 

 

Fonte: Portal Raízes

Disciplinando crianças além do castigo

post2

Embora aplicar castigos às crianças ainda seja uma das técnicas mais eficazes de disciplina utilizada pelos pais, ele não deve ser o único recurso. Até porque, conforme as crianças crescem, o castigo se torna menos eficaz. Pensando nisto, trouxemos outras técnicas disciplinares que você pode lançar mão e que podem funcionar bem com crianças mais velha.

 

Valorize os bons comportamentos

Muitos pais ainda passam a maior parte de tempo gastando energia se concentrando nos comportamentos que não querem que os filhos tenham. Porém, focar nas atitudes que querem e valorizar isto, é uma das coisas mais simples e eficazes que podem fazer para melhorar o comportamento dos filhos.

 

Preste atenção nestas coisas pequenas e demonstre sua aprovação. As crianças adoram receber uma atenção extra, então aposte num elogio verbal, abraço ou palmadinha nas costas para fazer esse reforço positivo. Ao valorizar os comportamentos apropriados da criança, aumenta-se as probabilidades de elas os repetirem, para receber esta atenção carinhosa. Da mesma forma que ter um comportamento bom ignorado, pode levar a criança a se portar inadequadamente em outra oportunidade – pois assim ela receberá atenção extra, ainda que em forma de xingamento. Então, tente se concentrar nas coisas boas, não nas más.

 

Não espere pela perfeição

É importante os pais serem realistas e não esperarem que uma criança tenha sempre um comportamento perfeito. Esta expectativa, na verdade, gera uma tensão na criança, que provavelmente fará com que ela se comporte mal, apenas para quebrar o nervosismo.

 

Além disso, é importante definir o que é realmente importante para você, quais bons comportamentos são fundamentais. Se tentar se concentrar em muitas coisas de uma só vez, acabará corrigindo seu filho constantemente, e ambos ficarão tristes.

 

Apresente alternativas

Quando seu filho se comportar de forma inadequada, mostre a ele alternativas a isso. Por exemplo, se ele costuma gritar quando quer algo, e você quer que ele pare, demonstre a ele como falar tranquilamente e ainda assim obter a atenção desejada. É por isso que o antigo costume de dar palmadas se mostrou ineficaz ao longo do tempo, pois ele não ensina à criança como ela deveria se portar, apenas pune, sem oferecer alternativa.

 

Lembre-se que disciplinar não é o mesmo que punir. Disciplina tem a ver com ensinar. Frente a isso, questione a si mesmo se os seus próprios comportamentos estão de acordo com o que vem tentando ensinar ao seu filho. Dar um bom exemplo ainda é das técnicas de disciplina mais efetivas de todas.

 

 

 

Fonte: Pampers

É hora de arrumar o quarto!

post1

Para que as crianças adquiram o hábito de arrumar seu próprio quarto, é importante incentivá-las e fazer com que elas participem desde cedo do processo de organização.

 

Nem sempre é fácil manter a organização do quarto dos pequenos, independentemente da idade. Mas quanto antes eles forem envolvidos na tarefa de arrumação, melhor, pois assim eles se sentem mais donos do seu espaço e responsáveis por ele.

 

Por mais que fazer uma baguncinha seja divertido, manter o ambiente organizado é importante para o desenvolvimento das crianças, uma vez que ajuda a trabalhar a autonomia delas, que conseguem visualizar melhor seus brinquedos sem necessidade da ajuda de um adulto. Por isso, é importante que os móveis sejam de altura adequada para que a criança possa ela mesma guardar e posteriormente acessar seus brinquedos e objetos.

 

À medida em que os pais envolvem a criança na arrumação do quarto, elas começam a entender que um local só fica organizado se alguém o fizer. E, participando disso, ela passa a se apropriar do seu espaço e se sentir responsável por ele. Nesse sentido, é importante considerar a opinião da criança sobre as melhores formas de organizar e guardar seus itens, fazendo com que o cômodo reflita os gostos dela, aumentando seu vínculo com ele.

 

Em caso de quartos compartilhados entre irmãos, o desafio aumenta, pois é necessário respeitar a individualidade e gostos de cada um, além de considerar suas idades e etapas de desenvolvimento. Para facilitar, os espaços podem ser divididos entre cada um e áreas comuns, usadas por todos. Usar cores e caixas organizadoras com etiquetas também pode ajudar.

 

De qualquer maneira, aprender que se deve guardar tudo no lugar depois da diversão deve fazer parte da rotina das crianças. Por isso, siga essas dicas:

 

1. Sempre guardar os brinquedos após seu uso, para que a bagunça não acumule.

2. Valorize os momentos em que a criança se propõe a organizar seus objetos, elogiando e mostrando que ela capaz de executar muito bem a tarefa.

3. Dê exemplo aos pequenos, mostrando que os adultos também precisam organizar seus pertences após o uso.

4. Incorpore à rotina da casa um momento para organizar o espaço das crianças – pode ser diário, ou semanal, mas deve ser seguido com disciplina.

5. Para facilitar a organização dos brinquedos, é interessante separá-los em grupos e definir locais específicos para guarda-los. Nessa hora, é importante que a criança participe e opine, afinal, ela precisará acessar e guardar novamente esses itens.

 

 

 

 

Fonte: Delas

Como impor disciplina dentro da sua casa

Um dos grandes problemas de pais e mães é mesmo impor a disciplina dentro da própria casa.

Com a vida corrida de hoje, os pais já chegam cansados do trabalho e muitas vezes não se importam com alguma travessura que o filho faça. Afinal, o tempo da família junta é tão pequeno que muitos não querem gastá-lo com brigas.

Mas é preciso ter em mente que a criança precisa de limites e disciplina para crescer de uma forma mais responsável. Separamos algumas dicas de como você pode impor a disciplina dentro de casa sem se tornar a vilã da história.

Rotina: Desde pequena a criança deve respeitar a rotina imposta pelos pais. É fundamental para o pequeno que ele tenha horários e tarefas para desempenhar na casa. Mas não precisa ficar neurótico com isto, permitir-se sair da rotina de vez em quando é saudável para que a criança aprenda a se adaptar em diferentes circunstâncias.

Firmeza: Ao conversar com a criança, olhe nos olhos dela e seja firme, mas sem alterar o tom de voz, pois ela responde mais ao modo como falamos do que às palavras propriamente ditas.

Combinado: É uma ótima alternativa de conseguir que a criança cumpra alguma tarefa ou faça algo que ela não quer. Por exemplo: se a criança quer muito comer um doce você pode argumentar algo como: depois de fazer a lição de casa você poderá comer, combinado? Assim ela aprende que em alguns momentos terá que desempenhar tarefas que não queira, mas que poderá ganhar recompensas por isto.

Exemplo: Quando se fala em limites, o exemplo é fundamental. Se o seu filho está gritando, pare e preste atenção: alguém no círculo social dele deve fazer o mesmo. Quando você respeita o próximo e as regras sociais, ele também o fará com mais facilidade.

Castigo: Deve estar de acordo como erro e a personalidade da criança, além da idade. Para algumas, faz mais efeito deixar no quarto por algum tempo, para outras, é tirar o brinquedo preferido. Mas um aspecto não há o que discutir: violência só reprime, não educa.

Reforço positivo: Elogiar sempre funciona (e é muito mais gostoso do que receber uma crítica, não é?). Não aponte só os erros, lembre-se de valorizar os acertos. Se o seu filho não guardou os brinquedos hoje como você pediu, repreenda-o. Mas se amanhã guardar tudo, faça festa! Você verá a alegria nos olhos dele ao ver que foi reconhecido.

Mother with Son at Home