Blog :: Xalingo

Tag - aprendizado

Atividade: Ensinando a recortar de um jeito divertido

post1

post1

Por volta dos três anos as crianças geralmente já possuem o desenvolvimento de coordenação motora necessário para segurar uma tesoura e aprender a manuseá-la. Aprender a recortar é ótimo para estimular habilidades como a motricidade fina da criança. Por isso, vale apostar em atividades divertidas para incentivar esse aprendizado, como esta que trouxemos para você.

 

Materiais:

– Encarte de ofertas

– Tesoura infantil, sem ponta

– Cola

– Papel

 

O primeiro passo desta atividade é pedir para a criança recortar do encarte os itens que ela deseja ou conforme o tema estabelecido – pode ser uma lista de compras de supermercado, presentes para família e amigos, natureza, alimentos, etc.

 

Mesmo usando tesoura sem ponta, é bom ficar de olho para evitar qualquer acidente. Aproveite para observar a concentração da criança, o esforço que ela fizer para recortar certinho as imagens, repare se ela utiliza apenas uma ou ambas as mãos para manipular a tesoura…

 

Depois de recortar todos os itens, é hora da colagem! Conforme o tema da atividade, a criança pode soltar a imaginação na hora de colar as figuras recortadas no papel. Pode ser em forma de lista, bem organizado, pode ser por cores, por semelhança, pode ser formando uma outra figura… Deixe a criatividade dos pequenos fluir.

 

Esta atividade é bastante simples, mas pode divertir os pequenos por várias horas. E, conforme os materiais que tiver em casa, você pode mudar a abordagem dela. Neste exemplo, usamos um encarte de ofertas de supermercado. Mas você pode usar jornais, revistas, especificando um tema para as crianças recortarem imagens.

 

 

Fonte: Tempo Junto

Os desafios da volta às aulas

Volta às aulas é sinônimo de novos desafios e aprendizados, tanto para as crianças quanto para os pais. Quando os pequenos passam da educação infantil para o ensino fundamental, as mudanças são grandes, gerando ansiedade e nervosismo. Por isso, trouxemos dicas e respostas para as dúvidas mais comuns nessa fase.

 

O conteúdo será dividido em disciplinas?

Não existe uma regra, cada instituição faz isso de maneira diferente. No entanto, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais do MEC, as turmas de 1º ano do fundamental devem aprender sobre língua portuguesa, matemática, ciências naturais, história, geografia, arte e educação física. Em algumas escolas a divisão é bem certinha, enquanto que outras optam por trabalhar por projetos, de acordo com o interesse da classe por um determinado assunto e envolvem várias disciplinas.

 

Meu filho terá um professor para cada matéria?

Novamente, isto vai variar de acordo com a organização da escola. Na maioria delas, o professor principal é responsável por quase todo o conteúdo, e as crianças terão contato com outros tutores em disciplinas específicas como arte, música, educação física ou inglês. Para evitar que seu filho se sinta um pouco intimidado, explique a ele que professores, tutores e auxiliares de educação estão lá para ajudá-lo a crescer e serão seus companheiros na escola durante todo o ano.

 

Muitos alunos na turma

Nas turmas de 1º ano do fundamental, por ser um período que exige mais atenção dos professores em função do processo de alfabetização, a maioria das escolas opta por um número reduzido de crianças por classe, de 20 a 25 alunos geralmente. Para deixar seu pequeno mais tranquilo em relação a um possível aumento de coleguinhas e muitos deles desconhecidos, mostre a ele que será uma ótima oportunidade para fazer novos amigos.

 

A avaliação será feita através de provas?

Para evitar um choque ainda maior para as crianças, muitas instituições mantêm no início do ensino fundamental um processo avaliativo similar ao da educação infantil, por meio de sondagens realizadas em sala durante a rotina escolar. Nelas, é avaliado o desenvolvimento do aluno perante ele mesmo e a turma, sem notas ou boletins. O sistema de provas costuma ser inserido mais adiante e aos poucos, sendo inicialmente realizadas com o auxílio do professor. De qualquer forma, tente fazer com que seu filho não se sinta excessivamente pressionado em relação às avaliações – pois isso só vai deixa-lo ansioso e prejudicar seu desempenho.

 

Meu filho terá lição de casa com frequência?

Este é outro ponto que pode variar entre as escolas. No entanto, conforme a carga curricular aumenta, as lições se tornam mais frequentes sim. Mas fique tranquilo e acalme seu pequeno. As lições costumam iniciar com exercícios simples. Para estimule seu filho desde cedo a criar o hábito de fazer as lições, crie um cantinho de estudos aconchegante para ele e definam horários para isso. Os pais também podem auxiliar no início, fazendo da lição de casa um momento de integração familiar.

 

Durante o ano, procure manter contato com os professores da turma do seu filho, para tê-los como aliados nessa adaptação. Afinal de contas, é por meio da dedicação diária e do carinho de pais e professores que as crianças irão se desenvolver, se sentir seguras, fazer novos amigos e aprender muito na nova escola.

 

 

 

Fonte: Crescer

Incluindo as crianças nos preparativos de Natal

post3

post3

Enfeitar a casa, montar a árvore, comprar os presentes, tudo isso pode ficar ainda mais divertido com a ajuda dos pequenos. Aproveite o clima de alegria e união desta época, para ensinar às crianças alguns conceitos de organização, enquanto envolve elas nos preparativos para o Natal. Confira estas dicas.

 

Categorizando as peças

Você pode começar mostrando às crianças como é possível reaproveitar boa parte da decoração natalina dos anos anteriores. Tirem as caixas do armário, verifiquem os enfeites que ainda poderão ser utilizados. Peça para os pequenos ajudarem a separar e escolher os itens. Depois, façam uma lista das coisas que precisarão ser compradas.

 

Decorando

Depois de separar e organizar itens antigos e novos, é hora de começar a preparar a casa. Peça para as crianças ajudarem a pendurar os enfeites na árvore, colocar os personagens no presépio e montar arranjos para a mesa.

 

Arrumando a bagunça

Depois que as festas acabarem, ainda tem mais uma importante lição para os pequenos: arrumar a bagunça que ficou. Assim como eles ajudaram a decorar, envolva-os na desmontagem da decoração, na organização dos itens para serem guardados sem danificar e poderem ser aproveitados no próximo ano.

 

Divirtam-se e boas festas!

 

 

 

 

Fonte e imagem: Crescer

 

Passatempos podem mesmo ser educativos?

post3

post3

Muitos pais se questionam se as revistas com passatempos e jogos como caça-palavras e labirintos realmente podem auxiliar no aprendizado dos seus filhos. Quer saber a verdade? Eles são ótimos!

 

As atividades chamadas de passatempo podem ser grandes aliadas no desenvolvimento e na alfabetização das crianças. Isso porque elas estimulam a atividade mental, aguçam a imaginação e colaboram em habilidades como coordenação motora, concentração, entre outras.

 

Além disso, por geralmente envolverem letras, construção e identificação de palavras, os passatempos também auxiliam no processo de alfabetização, fazendo com que, através dos joguinhos, a criança aumente sua familiaridade com letras, números e a própria escrita.

 

Este tipo de atividade é excelente para distrair as crianças, fazendo com que elas se divirtam e aprendam ao mesmo tempo. E já reparou como elas ficam contentes quando conseguem completar corretamente os desafios propostos?

 

Não faltam motivos para você apostar nos jogos de passatempo para entreter seus filhos. Por isso, a Xalingo possui uma área dedicada especificamente a isto, é o Aprender Brincando. Lá você vai encontrar uma apostila de atividades diferentes a cada mês, com temas divertidos e instrutivos para os pequenos.

 

Acesse e confira! 

post3b

 

 

 

 

Fonte: Disney Babble

Atividade: vitral geométrico

post3

post3

As crianças costumam adorar atividades que envolvam água e cores. Por isso, trouxemos uma brincadeira divertida, que faz pouca bagunça e vai encantar crianças de diversas idades, além de estimular o desenvolvimento delas. Prepare os materiais e mãos à obra!

 

Materiais:

– tesoura

– celofane colorido

– moldes de formas geométricas (pode usar objetos de casa mesmo, como caixas e potes)

– borrifador de água

 

Como fazer? É só recortar formas geométricas no celofane colorido e escolher o local (uma superfície de vidro como box do banheiro, janela grande ou mesmo tampo de mesa).

 

Com o borrifador, as crianças umedecem a superfície e a mágica acontece: o celofane gruda! Assim, elas podem criar mosaicos incríveis e coloridos combinando as formas geométricas recortadas, formando um vitral.

 

Os pequenos vão se encantar colando e deslizando as peças de celofane no vidro molhado e, mais ainda, ao perceberem que com a transparência, conseguem enxergar colorido através dela.  Eles podem combinar cores e formas, sobrepor peças…

 

Essa brincadeira é bastante simples, mas traz uma infinidade de descobertas para as crianças. Além disso, ainda estimula a concentração, a visão, o tato, coordenação motora, raciocínio lógico, a linguagem e, claro, a imaginação.

 

 

Dicas:

– O celofane gruda em qualquer superfície úmida, possibilitando que a brincadeira seja feita em azulejos, espelhos e janelas.

– Esta brincadeira também é ótima para entreter a criança naquela fase de fugir do banho, tornando-o um momento divertido ao colar as peças de celofane no box.

– Como em qualquer atividade que envolva água, certifique-se de que o local escolhido está preparado para evitar escorregões no piso molhado e com toalhas ou pano para enxugar os molhados extras.

– Evite deixar pedaços muito grandes de celofane ao alcance dos pequenos e cuide para que eles não cubram o rosto com ele (para evitar qualquer possibilidade de sufocamento).

– Depois da brincadeira, você pode esperar o celofane secar e guardar os recortes no meio de livros ou revistas para usá-los novamente.

 

 

 

 

Fonte e Imagem: MassaCuca

Ecologia no dia a dia das crianças

post3

post3

Por mais que a escola possa ensinar e incentivar, a consciência ecológica dos pequenos deve começar dentro de casa. Pensando nisso, trouxemos algumas dicas de como levar a sustentabilidade para o dia a dia da família.

 

Mesmo morando em grandes cidades, é possível encontrar formas de fazer com que o contato com a natureza e o respeito ao meio ambiente façam parte da rotina da família, para que as crianças possam desenvolver essa relação de cuidado e envolvimento com a sustentabilidade de ecologia. Confira algumas formas de fazer isto na prática.

 

Tenha uma composteira em casa

Até para quem mora em apartamento e não possui muito espaço, é possível fazer compostagem. É um processo relativamente simples, mas que pode ensinar muito às crianças sobre os ciclos na natureza.

 

Dê à criança uma planta para chamar de sua

Para incentivar e ensinar a criança a cuidar de uma planta, designe uma que vá ficar sob a responsabilidade dela para regar, adubar, podar. Ou, ainda, você pode recorrer à clássica experiência do feijão brotando no algodão ou, quem sabe, dar um vaso pequeno com alguma flor ou erva aromática como hortelã, manjericão, alecrim ou mesmo tomate cereja, para que seu pequeno possa criar uma rotina de cuidados e observar o crescimento da plantinha.

 

Consciência e alimentação andam juntas

Se tiver espaço para fazer uma pequena horta em casa, você terá uma ótima aliada para conscientizar e ensinar as crianças a respeito da alimentação saudável. Cultivando algumas hortaliças ou tubérculos para consumo da família, é um ótimo jeito de evitar agrotóxicos desde cedo. Em pouco tempo elas mesmas conseguirão perceber a diferença de sabor entre os alimentos cultivados em casa, com cuidado e carinho, daqueles consumidos em restaurantes e aprenderão a valorizar os alimentos saudáveis.

 

Frequente parques e praças

Brincar ao ar livre é essencial para as crianças. Descubra espaços verdes em sua cidade para curtir com a família. Você pode organizar um piquenique e brincadeiras, além de aproveitarem para explorar e tentar identificar as plantas do parque ou praça onde estiverem.

 

Sem nojinho de terra!

As crianças não costumam ter nojo de mexer na terra – até que percebam o nojo no adulto. É sabido que há micróbios na terra, mas já foi provado que esse tipo de ‘sujeira’ é benéfico para o desenvolvimento do sistema imunológico da criança. Portanto, diga não ao nojinho e, não só permita que eles brinquem e mexam na terra, como aproveite para brincar junto. Vocês terminarão a brincadeira com as energias – e as defesas do organismo -renovadas!

 

 

 

Fonte: Catraquinha

Brincar de balanço é tudo de bom!

post1

post1

Você sabia que, além de ser muito divertido, brincar de balanço também ajuda no desenvolvimento das crianças? Uma pesquisa recente indica que essa brincadeira ensina os pequenos a trabalhar em equipe.

 

Quem diria que o balanço, esse clássico brinquedo de playground pudesse ser tão importante para o aprendizado das crianças. Segundo um estudo desenvolvido pela Universidade de Washington, brincar de balanço faz com que os pequenos tenham que se adaptar à situação e se comprometer um com o outro, trabalhando juntos em prol de um objetivo comum.

 

Segundo os especialistas, o segredo está no esforço que as crianças fazem para entrar no mesmo ritmo, quando brincam lado a lado. Essa sincronia estimula a cooperação, uma vez que a atenção delas fica voltada para o engajamento com o outro.

 

A partir desse aprendizado, as crianças tornam-se mais colaborativas para realizar tarefas em grupo e atividades em equipe, promovendo melhor socialização e estimulando seu desenvolvimento como um todo.

 

 

Quer levar essa brincadeira deliciosa para a sua casa? Então acesse o link e confira os modelos de balanços da Xalingo.

 

 

 

 

Fonte: Crescer

Brinquedos para estimular o desenvolvimento

Os brinquedos educativos estimulam o desenvolvimento das crianças de forma lúdica, através de atividades que envolvem seguir regras, aprender com o erro, identificar formas e cores. Por mais que pareçam simples, essas atividades desempenham um importante papel no desenvolvimento cognitivo dos pequenos.

 

Os brinquedos educativos são aqueles que permitem à criança desenvolver sentidos e habilidades, estimulando diferentes formas de aprendizado, como os quebra-cabeças, jogos de encaixe, massa de modelar, jogos de desenho e pintura, entre outros.

 

Raciocínio lógico, coordenação motora, imaginação, criatividade, noções de tamanhos, cores e formas – estas e muitas outras habilidades podem ser estimuladas por meio dos brinquedos. E, quando eles conseguem unir aprendizado, interatividade e tecnologia, as possibilidades de aprendizado aumentam ainda mais para a criança.

 

Pensando nisso, além dos brinquedos educativos tradicionais, a Xalingo possui também a linha Interactive Play, que traz a tecnologia da Realidade Aumentada para gerar mais aprendizado e diversão para os pequenos. A linha é composta por três produtos – um jogo de desenho e pintura, um quebra-cabeça com sombras de animais e outro quebra-cabeças para alfabetização. Cada um deles possui um aplicativo para tornar a brincadeira ainda mais divertida. Conheça os produtos:

 

Interactive Play Colorindo e Desenhando

Quebra-Cabeça Sombras

Interactive Play Soletrando

 

 

 

Fonte: Quem Cuida

O impacto dos contos infantis

post2

post2

 

Quando as crianças são apresentadas aos contos infantis, elas costumam ficar encantadas. São muitas histórias, aventuras e emoções transmitidas de forma lúdica e divertida. Mas esses contos não atravessaram gerações apenas por serem belos e divertidos; eles também exercem função de aprendizado e impactam na formação da personalidade das crianças.

 

As histórias infantis são uma ótima fonte de inspiração para estimular as crianças, ajudando também na assimilação de temas nem sempre fáceis. Os contos podem incentivar os pequenos a não desanimarem frente as dificuldades, a enfrentar seus medos, a ver o lado bom de situações difíceis, ensinam valores humanos e a lidar com as frustrações. Tudo isso sob o véu do encantamento e da magia, que faz com que as crianças assimilem os conceitos mais facilmente.

 

Assim, os contos infantis desempenham um papel importante da formação da personalidade dos pequenos, pois através deles serão aprendidas muitas lições valiosas. Confira alguns sentimentos e sensações abordados nas histórias, que são ótimas aliadas para trabalhar estas questões com seus filhos.

 

Ingenuidade: Branca de Neve e Pinóquio

 

Beleza: Patinho Feio

 

Medo: Chapeuzinho Vermelho, Aladim

 

Inexperiência: Os Três Porquinhos

 

Insegurança: Alice no País das Maravilhas, Mogli, Peter Pan

 

Rejeição: Cinderela

 

Culpa: Rei Leão, Pinóquio

 

Dor: A Pequena Sereia

 

Abandono: João e Maria

 

 

 

 

Fonte: JustRealMoms

Como escolher livros para as crianças

 

Estimular o hábito da leitura nas crianças é fundamental e pode ser feita desde cedo. Atualmente o mercado disponibiliza uma infinidade de opções  – didáticas, divertidas, interativas – para todas as idades. Com tantas opções, às vezes fica até difícil escolher e saber o que é adequado para cada faixa etária, mas estas dicas vão lhe ajudar. Confira.

 

Livros sem figuras

As ilustrações ajudam a desenvolver a imaginação e na compreensão da história. Porém, a partir dos 10 anos as crianças desenvolveram suficientemente a linguagem e podem, portanto, ser apresentadas a textos mais complexos e livros sem muito apelo visual.

 

Complexidade de temas

Variar os temas dos livros apresentados à criança é importante e, gradualmente, a complexidade dos temas também pode ir aumentando. Por exemplo, por volta dos 4 anos, a criança já consegue compreender histórias com estrutura de começo, meio e fim, e que envolvam pequenos conflitos.

 

Preferências

Para escolher livros para uma criança, a partir de uma certa idade, já se pode levar em consideração as preferências dela. Quanto maior a diversidade á que ela tiver sido apresentada, mais possibilidades ela possui de refinar essas preferências. Na hora de escolher um livro, lembre-se dos interesses da criança – assuntos, personagens, atividades, etc.

 

Materiais

Um fator importante a considerar ao escolher livros para crianças é o material deles. Para bebês e crianças menores, as páginas devem ser mais espessas, para evitar que sejam logo rasgadas ou amassadas. Para bebês, na verdade, existem até livros feitos totalmente em plástico, podendo ser colocados na boca ou levados ao banho. Por outro lado, muitos livrinhos possuem figuras com alças para serem puxadas, ou dobraduras internas, cujo manuseio será melhor executado por crianças maiores, que já possuem melhor coordenação e compreensão.

 

Conhecer uma biblioteca

Ainda que os livros digitais estejam se popularizando, o livro físico ainda é o melhor meio de estimular o gosto pela leitura na criança. Vale, inclusive, levá-la para conhecer uma biblioteca e em grandes livrarias, para que elas possam se maravilhar com a imensidão de livros, manuseá-los, ler trecos e ir descobrindo os temas que mais gostam.

 

 

 

Fonte: Vida Simples