Blog :: Xalingo

Tag - açúcar

Açúcar: o vilão da alimentação infantil

post3

post3

Não é de hoje que se fala na importância de evitar ao máximo o açúcar no cardápio das crianças. E, como ele está presente na maioria dos produtos que consumimos – até mesmo em alimentos salgados – fica mais difícil supervisionar e ter controle a respeito. Por isso, é necessário informar-se e saber o consumo adequado para cada idade.

 

Antes de tudo, é preciso esperar a idade certa para oferecer alimentos com açúcar ao seu filho. O ideal é que isto aconteça somente após os 2 anos de idade, e ainda assim, com cautela. É comprovado que o açúcar vicia o paladar e, quanto mais cedo a criança for exposta a ele, mais difícil será apresentar a ela novos alimentos.

 

Os pais não precisam ficar ansiosos para oferecer doces, chocolates, balas e bebidas adoçadas para as crianças. Elas terão muito tempo ainda para experimentar tudo o que os adultos já conhecem. Por exemplo, a criança não precisa comer um chocolate aos 10 meses só porque é Páscoa, nem devorar um bolo em seu aniversário de 1 ano, e assim por diante. Mais do que as festividades, é preciso respeitar a evolução da criança e sua introdução alimentar.

 

Além de viciar o paladar, se ingerido em excesso, o açúcar também aumenta as chances de obesidade, diabetes e tudo que vem junto com estas doenças. Por isso, pense duas vezes antes de oferecer guloseimas repletas de açúcar aos pequenos. Assim você cuida da saúde deles, evitando que eles desenvolvam compulsão por doces e os ensina desde cedo a fazer escolhas certas.

 

 

 

 

Fonte: Crescer

 

4 mitos sobre crianças

mitos

mitos

 

A ciência e a medicina estão em constante evolução e, em função disso, boa parte do que se acreditava ser saudável ontem, pode fazer mal amanhã. E vice-versa. Na criação de filhos é a mesma coisa. Existem muitos mitos de ‘certo e errado’ que acabam caindo por terra e trouxemos alguns para você conferir.

 

1) Açúcar deixa as crianças agitadas

Durante muito tempo acreditava-se que pirulitos, balas e sorvetes, além de engordar e causar cáries, davam tanta energia que funcionavam como drogas estimulantes. Hoje, sabe-se que isto é um mito. O açúcar sozinho não tem esse efeito. Pelo contrário, ele pode trazer conforto e ter efeito calmante nas crianças.

 

2) Sujeira ajuda a criar anticorpos

Já faz um tempo que virou moda entre os pais moderninhos deixar o filho se esbaldar na lama, com o argumento da vitamina “S” (de sujeira). Essa atitude é baseada na Teoria da Higiene, proposta pelo médico inglês David Strachan no fim dos anos 80, que concluiu que a exposição a mais agentes infecciosos colocaria o sistema imunológico para trabalhar. Ou seja: o aumento dos casos de doenças como asma, bronquite e rinite seria causado pelo excesso de limpeza e pelo pouco contato com outras pessoas contaminadas. No entanto, esta teoria nunca foi comprovada e aceita oficialmente.

Até os dois anos de idade, toda criança ainda é imunologicamente deficiente. Por isso, o ideal é mantê-las longe de locais contaminados e pedir para que as visitas lavem as mãos antes de pegá-las no colo. Mas também não há motivo para paranoia: pode deixar a criança comer a bolacha que caiu no chão rapidinho. É tudo uma questão de bom senso.

 

3) Leite materno é sempre melhor que mamadeira

Em qualquer embalagem de leite em pó, consta a advertência do Ministério da Saúde: “O aleitamento materno evita infecções e alergias e é recomendado até os dois anos ou mais”. Não há dúvidas de que o leite produzido pela própria mãe é o melhor para mamíferos de qualquer espécie – inclusive humanos. O problema é que nem toda mulher pode ou gosta de amamentar. Mesmo as que podem às vezes não devem, como no caso das que precisam tomar remédios como antidepressivos, já que os princípios ativos podem passar pelo leite. Também acontece com frequência de o bebê se recusar a mamar no peito da mãe.

Em casos assim, ninguém precisa ficar paranoico com a saúde futura do bebê. Hoje existem fórmulas de leite em pó que imitam muito bem a composição do leite materno. São alimentos saudáveis e confiáveis. O maior problema é em relação ao tipo de proteína do leite da vaca, principalmente nos três primeiros meses de vida, que é mais difícil de ser processado e pode aumentar as chances de alergias.

 

4) Videogame atrapalha a concentração

Contrariando tudo o que se pensava até alguns anos, pesquisas atuais indicam que os jogos eletrônicos trazem uma série de benefícios para as crianças – do aumento da concentração à capacidade de tomar decisões. O importante não é no que a criança está pensando enquanto joga, mas a forma como ela está pensando. Em boa parte dos jogos, a criança é obrigada a parar para coletar evidências, analisar situações, prever o desenrolar da partida, consultar seus objetivos a longo prazo e só então decidir.

 

 

Fonte: Super Interessante 

Diabetes gestacional: o que é e o que comer

102760398

Algumas mulheres que não possuem diabetes podem desenvolver a doença durante a gravidez. O problema chamado de diabetes gestacional ocorre quando os níveis de açúcar presentes no sangue, durante a gravidez, ficam maiores do que o normal. Isso acontece porque o pâncreas de algumas mulheres não consegue fabricar insulina (hormônio que controla o nível de açúcar no sangue) o suficiente para si mesma e para o bebê.

Cuidar disso e manter o nível de açúcar no sangue controlado é de extrema importância para garantir a saúde do bebê, evitando até mesmo más formações. Pensando nisso, a revista Pais&Filhos publicou um cardápio para cada trimestre de gestação. Confira!

1º Trimestre

Café da Manhã:

Suco de laranja (um copo de 150ml);

Leite com café (uma xícara de chá);

Pão integral com requeijão (duas fatias)

Lanche da manhã:

Maçã, banana ou pêra (1 unidade)

Almoço:

Arroz integral (3 a 4 colheres de sopa);

Feijão (uma concha média);

Um bife de carne bovina (100 a 120 gramas);

Vagem refogada (4 colheres de sopa);

Salada de alface com cenoura crua;

Suco de laranja (um copo de 200ml)

Lanche da tarde:

Chá sem açúcar (uma xícara de chá);

Torradas integrais com manteiga ou geleia diet (uma colher de sobremesa);

Jantar:

Arroz integral (3 a 4 colheres de sopa)

Feijão (uma concha média)

Almôndegas de carne bovina (3 unidades médias)

Salada de alface, tomate e beterraba ralada

Brócolis refogado (4 colheres de sopa)

Suco de maracujá (um copo de 200ml)

Ceia:

Leite (um copo de 150ml)

2º Trimestre

Café da Manhã:

Chá sem açúcar (uma xícara de chá);

Pão integral com requeijão (2 fatias);

Queijo branco (1 fatia de aproximadamente 30g);

Mamão papaia (½ unidade pequena)

Lanche da manhã:

Iogurte com uma colher sobremesa de linhaça (triturada na hora de consumir)

Almoço:

Arroz integral (4 colheres de sopa);

Feijão (uma  concha média);

Carne assada (2 fatias finas de aproximadamente  120g);

Salada de repolho e tomate;

Abobrinha refogada (4 colheres de sopa);

Suco de uva (um copo de 200ml)

Lanche da tarde:

Leite com café (uma xícara de chá);

Cookies integrais: (4 unidades pequenas)

Jantar:

Macarrão integral com molho de tomate;

Filé de frango assado ou grelhado (uma unidade de aproximadamente 120g);

Salada de rúcula, alface e pepino;

Quiabo refogado (4 colheres de sopa);

Mexerica

Ceia:

Leite (um copo de 150ml);

Bolachas integrais (3 unidades).

3º Trimestre

Café da Manhã:

Leite com café (uma xícara de chá);

Pão integral com requeijão (2 fatias);

Queijo branco (2 fatias);

Laranja (uma unidade média)

Lanche da manhã:

Castanhas do Pará (3 unidades)

Almoço:

Arroz integral (4 colheres de sopa);

Feijão (uma concha média);

Filé de peixe (uma unidade de aproximadamente 120g);

Salada de agrião e tomate

Berinjela refogada (4 colheres de sopa);

Caqui (uma unidade pequena)

Lanche da tarde:

Iogurte desnatado;

Aveia (2 colheres de sopa);

Banana

Jantar:

Arroz integral (5 colheres de sopa);

Strogonoff de frango (3 a 4 colheres de sopa);

Salada de folhas com cebola e salsinha

Couve-flor cozida (4 colheres de sopa);

Mexerica

Ceia:

Leite (1 copo de 150 ml);

Torradas integrais (2 unidades);

Queijo (uma fatia).

Dicas:

O uso do adoçante deve ser feito se necessário, sendo preferencial um adoçante a base de Stévia;

Aumente a ingestão de água, em média dois litros por dia;

Aumente a ingestão de carboidratos ricos em fibras: arroz integral, macarrão integral, pães e bolachas integrais;

Não use açúcar, mel ou melados;

Evite refrigerantes. Se consumir, que seja o diet;

Realize de cinco a seis refeições por dia;

Evite carnes gordurosas. Preferir preparações assadas e grelhadas;

Evite alimentos embutidos e enlatados;

Controle o consumo de sal;

Realize atividade física, se o médico liberar.