Blog :: Xalingo

Criança diz cada uma…

post2

post2

“Criança diz cada uma…” era como se chamava a coluna do médico, dramaturgo e escritor Pedro Bloch, na revista Pais & Filhos nos anos 1980. A coluna fazia sucesso, trazendo relatos de histórias e frases engraçadas, protagonizadas ou proferidas por crianças.

 

As frases e histórias vinham de seus pequenos pacientes no consultório pediátrico, e depois ele começou a receber muitas outras, através da colaboração de pais e professores. Depois de alguns anos, essas preciosidades proferidas pelas crianças foram compiladas no livro o Dicionário de Humor Infantil – Frases do cotidiano de crianças de 3 a 11 anos. Como o livro já se encontra fora de linha na editora, reproduzimos aqui alguns verbetes.

 

Quem sabe eles sirvam de inspiração para que pais, familiares e cuidadores resgatem esse hábito de registrar os dizeres e acontecimentos engraçados da infância dos pequenos, para além das fotos e vídeos, tão comuns atualmente. E o melhor de tudo é que, para conseguir colher esse tipo de registro, só convivendo de pertinho e tendo um ótimo relacionamento entre pais e filhos, no qual realmente se escuta e se dedica atenção mútua.

post2b

Confira algumas pérolas do livro de Pedro Bloch, aproveite para relembrar sua infância e se divertir com a sabedoria infantil dos verbetes.

 

ADULTO: “É uma pessoa que sabe tudo, mas quando não sabe diz logo: ‘veja na enciclopédia’.”

ALEGRIA: “É um palhacinho no coração da gente.”

AMAR: “É pensar no outro, mesmo quando a gente nem tá pensando.”

BOCA: “É a garagem da língua.”

BONITA: “Se eu sou bonita ou inteligente? Se eu sou bonita, você vê na cara. E se eu sou inteligente, nem respondo a uma pergunta boba dessas.”

CABELO: “É uma coisa que serve pra gente não ficar careca.”

CALCANHAR: “É o queixo do pé.”

CHOCOLATE: “É uma coisa que a gente nunca oferece aos amigos porque eles aceitam.”

COBRA: “É um bicho que só tem rabo.”

CRIANÇA: “Ser criança é não estragar a vida.”

DISTÂNCIA : “A Europa fica mais longe que a Lua. A Lua eu vejo.”

ESCURO: “Tenho mais medo de avião que de escuro. É que escuro não voa, nem cai.”

ESPERANÇA: “É um pedaço da gente que sabe que vai dar certo.”

FUTEBOL: “É um jogo em que, às vezes, a trave joga melhor que o goleiro. Pega tudo.”

FUTURO: “É tudo que vem depois e, quando chega, já era.”

GÊMEAS: “Eu vi duas meninas de cara repetida.”

HORA: “A melhor hora da minha escola é a hora da saída.”

JARDIM ZOOLÓGICO: “O bicho que eu mais gostei, no jardim zoológico, foi o vendedor de sorvete.”

MISTÉRIO: “É uma coisa que a gente não sabe explicar direito e, quando explica, já não é.”

NEVOEIRO: “É poeira do frio.”

PACIÊNCIA: “É uma coisa que mamãe perde sempre.”

PAI: “Ser pai é mais difícil que ser mãe. Pai precisa usar gravata.”

POLUIÇÃO: “É sujeira do progresso.”

QUANDO PUDER: “É muito tarde.”

REDE: “É uma porção de buracos amarrados com barbante.”

REFLEXO: “É quando a água do lago se veste de árvores.”

RELÂMPAGO: “É um barulho rabiscando o céu.”

SAUDADE: “É quando uma pessoa que devia estar perto está longe.”

SOL: “Eu não errei na prova. Só disse que o Sol nasce no nascente e dorme no dormente.”

SONO: “É saudade de dormir.”

SORTE: “É a gente acordar, se preparar pra ir pra escola e descobrir que é feriado nacional.”

STRIP-TEASE: “É mulher tirando a roupa toda, na frente de todo mundo, sem ser pra tomar banho.”

VEIAS: “São raízes que aparecem no pescoço das meninas que gritam.”

VIDA: “A vida a gente não explica. Vive.”

 

 

 

Fonte: Minuto Criança

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *